ESPORTE

Competição foi encerrada no domingo (13). Torneio reuniu pela primeira vez atletas nacionais e estrangeiros no Centro de Excelência em Saltos Ornamentais

 

Foto: Júlio Minasi/Secom UnB

A UnB acaba de sediar um dos mais importantes eventos de saltos ornamentais do país. Realizada entre os dias 9 e 13 de dezembro no Centro Olímpico, a Taça Brasil Open da modalidade rendeu troféus, medalhas e vagas para a Copa do Mundo de Saltos Ornamentais.

O torneio internacional está marcado para acontecer em fevereiro, no Centro Aquático Maria Lenk, na Barra da Tijuca, e será classificatório para as Olimpíadas do Rio de Janeiro.

Visando à preparação para os Jogos de 2016, cerca de 60 atletas, representando clubes brasileiros e delegações de Colômbia, Hungria e Turquia, disputaram provas em trampolins e plataformas de um, três e dez metros.

Esportistas conhecidos, como Hugo Parisi, Juliana Veloso, Ian Matos, Ingrid Oliveira e César Castro dividiram o complexo aquático com novos talentos, entre os quais está o jovem Luís Felipe Moura. Morador do Gama, o garoto descobriu a modalidade aos dez anos. Hoje, aos 13, já perdeu as contas de quantas competições disputou, entre nacionais e internacionais.

Centro de Excelência sedia competições nacionais desde 2014. Foto: Júlio Minasi/Secom UnB

Luís Felipe treina cinco dias por semana no Centro de Excelência da UnB. Acorda cedo para conciliar rotina e estudos. A recompensa vem em oportunidades como a Taça Brasil, quando pode competir lado a lado com atletas que admira, como o medalhista pan-americano César Castro. Em comum, ambos têm o objetivo de disputar as Olimpíadas 2016 no trampolim de três metros.

César Castro é brasiliense e treina, desde 2013, nos Estados Unidos. Pela primeira vez, participa de uma competição oficial no Centro de Excelência em Saltos Ornamentais. A tranquilidade encontrada por César no exterior o faz não pensar em voltar ao Brasil por enquanto, mas a qualidade do local de treino não seria empecilho.

“Quando saí daqui não havia essa estrutura, o ambiente para o atleta em Brasília era diferente. Agora, com o que temos no Centro Olímpico da UnB, está perfeito”, avalia.

A Universidade de Brasília passou a integrar o circuito de provas do esporte aquático a partir da inauguração do Centro de Excelência em Saltos Ornamentais, em março de 2014. Desde então, diversos atletas têm treinado e competido no Centro Olímpico.