ENSINO

Cerca de oito mil estudantes frequentam os campi Darcy Ribeiro, de Ceilândia e de Planaltina. Período antecede o início do semestre letivo regular de 2017

 

Foto: Beatriz Ferraz / Secom UnB

 

Após a calmaria do recesso de fim de ano na Universidade de Brasília, os campi da instituição voltaram a se movimentar desde a última quarta-feira (4) com o início das aulas do período especial de verão. Cerca de oito mil alunos aproveitam a época – considerada de férias para grande parte da comunidade acadêmica – para antecipar a conclusão de suas graduações ao cursar matérias em tempo menor ao do semestre letivo regular.


Até 14 de fevereiro, as salas de aula do campus Darcy Ribeiro e das faculdades de Ceilândia e Planaltina recebem estudantes matriculados em 327 disciplinas obrigatórias e optativas ofertadas nas mais diversas áreas do conhecimento. Ao total, 428 turmas estão em aula nos períodos matutino, vespertino e noturno na Universidade.

Para a professora Milena Fernandes Rocha, disciplinas de verão são vantajosas por agilizar a formação dos estudantes mantendo a qualidade. Foto: Beatriz Ferraz/Secom UnB


Tornar o conteúdo atrativo e ministrá-lo com qualidade, além de manter o desempenho dos alunos, mesmo com o ritmo mais acelerado das aulas, são algumas das tarefas assumidas pelos docentes que passarão o verão à frente das atividades. Professora do Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas da UnB (LIP), Milena Fernandes Rocha vê a oportunidade como positiva. A alta demanda de alunos por disciplinas no período confirma o sucesso da iniciativa. A disciplina de Introdução à Linguística, ministrada por Milena, é uma das mais procuradas por estudantes do curso de Letras: só na lista de espera, constavam mais de 100 inscritos.


Para a professora, são vantagens dos cursos de verão os encontros mais frequentes e a heterogeneidade das turmas, compostas por alunos de graduações distintas. Além disso, a docente considera que o período auxilia no preenchimento da carga horária e créditos totais dos cursos, principalmente para quem está perto de se formar ou quer se recuperar de reprovações. “O semestre regular gera uma sobrecarga muito grande. No curso de verão, talvez eles tenham um espaço e tempo maior para se dedicar a uma disciplina específica”, afirma.


A professora colaboradora do curso de Administração Clarissa Melo Lima avalia, no entanto, que o rendimento das aulas depende tanto do aluno, como do docente. "O professor tem que ser dinâmico, motivar os alunos nas aulas. Recomendo também aos alunos darem um feedback [sobre as aulas] ao professor", comenta a docente, que veio como voluntária da Universidade Federal do Ceará.


Com a volta às atividades no campus Darcy Ribeiro, o estudante de Engenharia Civil Rafael Mendes Jorge pretende usar o tempo livre para intensificar os estudos e correr atrás do prejuízo, em busca da aprovação em disciplinas perdidas nos semestres anteriores. “Para os alunos que tiveram alguma matéria atrasada ou quiserem adiantar a formação e não forem viajar no verão é uma oportunidade interessante de evitar atrasos”, comenta. Para o graduando, o foco em poucas matérias torna seu desempenho melhor.

A estudante Daniele Amorim Fernandes pretende adiantar um semestre com as disciplinas cursadas no período de verão. Foto: Beatriz Ferraz/Secom UnB


Já Daniele Amorim Fernandes, estudante do curso de Saúde Coletiva, acredita que as disciplinas de verão abrem espaço para maior integração dos estudantes com diferentes áreas. “É importante, pois você conhece outros cursos e tem essa oportunidade de uma forma rápida. As férias são longas, então dá para descansar por um tempo e estudar”, afirma.


SERVIÇOS –
 No campus Darcy Ribeiro, além das ofertas de disciplinas de verão, alguns dos serviços mantêm a normalidade no funcionamento. É o caso do Restaurante Universitário (RU) e da Biblioteca Central (BCE). As refeições para a comunidade acadêmica continuam a ser servidas de domingo a domingo, das 7h às 9h no café da manhã, das 11h às 14h30, durante o almoço, e das 17h às 19h30, no jantar. Já a BCE permanece aberta de segunda a sexta-feira, das 7h às 23h45, e aos sábados, domingos e feriados apenas para empréstimos e acesso à referência, das 8h às 17h45.


Para os campi de Ceilândia, Gama e Planaltina os horários de atividade das bibliotecas setoriais também foram mantidos, enquanto que o RU tem funcionamento especial. Em Ceilândia, o Restaurante estará aberto apenas para o almoço; no Gama e na Fazenda Água Limpa, o serviço está paralisado durante as férias. O restaurante de Planaltina, que por enquanto tem funcionado normalmente com a oferta de três refeições diárias, também terá sua programação alterada: entre os dias 18 e 24 de fevereiro, servirá apenas o almoço à comunidade. O espaço entra em recesso após a data e retorna à normalidade com o início do semestre letivo, no dia 6 de março.