INTERNACIONALIZAÇÃO

UnB recebe 88 estudantes vindos de diversos países, por diferentes acordos de intercâmbio. Novatos serão auxiliados por tutores, já alunos da Universidade

 

Os intercambistas Stephanie Ayala (Chile), Diego Navarro (México), Brayan Nuñez (Colômbia), Isamar Aquima (Peru) e o tutor Davi Leite esperam ter boas vivências na UnB. Foto: Heloíse Corrêa/Secom UnB

 

“Primeiramente, bem-vindos! Vocês estão em uma das melhores universidades do país e recebê-los aqui será uma experiência enriquecedora.” Com essa mensagem, o professor Virgílio Almeida, diretor da Assessoria de Assuntos Internacionais (INT) da UnB, recebeu cerca de 60 estudantes estrangeiros que estudarão na Universidade neste primeiro semestre de 2019.

 

Representantes do Decanato de Pós-Graduação (DPG), do Decanato de Ensino de Graduação (DEG) e da Diretoria de Desenvolvimento Social (DDS/DAC) também estiveram presentes para orientar os recém-chegados. Além deles, 22 tutores, que auxiliarão na ambientação dos visitantes, compareceram à recepção no auditório da Reitoria, na tarde desta quarta-feira (13).

 

No evento, os estudantes intercambistas dos programas de Alianças para a Educação e a Capacitação (PAEC), Estudante Convênio de Graduação (PEC-G) e de acordos bilaterais entre instituições, receberam orientações sobre registro e matrícula, funcionamento da Universidade, geografia dos campi e da cidade.

Estudantes foram divididos em grupos nos idiomas espanhol e inglês para tirar dúvidas. Foto: Heloíse Corrêa/Secom UnB

 

A primeira parte da recepção trouxe informações gerais sobre o ensino de excelência oferecido pela UnB, oferta de cursos, estrutura e funcionamento. No segundo momento, os estudantes de graduação foram divididos em grupos de acordo com a preferência de idioma para comunicação. Alunos de pós-graduação puderam conversar com o representante da INT.

 

PERSPECTIVAS – “Quero conhecer a cultura do Brasil e entender o modo de pensar e a liberdade de expressão do brasileiro, já que no meu país as pessoas ainda não se mobilizam muito”, diz Isamar Aquima, estudante de Geofísica que veio de Arequipa, no Peru.

 

O aluno Davi Leite, do segundo semestre de Geografia, será tutor de Isamar. Enquanto auxilia a colega na ambientação, ele espera aprender mais sobre a cultura do Peru e melhorar sua habilidade de expressão na língua espanhola. “Já identifiquei algumas dificuldades e precisei recorrer ao tradutor. Assim, sei que estou aprimorando meus conhecimentos”, observa.

 

Stephanie Ayala, estudante de Direito, veio do Chile após se apaixonar pelo Brasil. “Estive aqui há três anos e me encantei. Me interessa aprender mais sobre a história, movimentos sociais e de afrodescendentes”, conta. Maria Virri, finlandesa, morou três anos em Brasília e admira a cidade. “Decidi voltar para estudar Matemática, gosto muito daqui." Já o mexicano Diego Navarro Arroyo veio interessado em aprender com a arquitetura da capital.

Maria Virri (Finlândia), Massimiliano Iob (Itália), Mikhail Kozlov (Rússia), Hyuna Yu (Coreia do Sul) e Ulysse Denon (França) escolheram a UnB pela qualidade do ensino ou curiosidade com Brasília. Foto: Heloíse Corrêa/Secom UnB

 

A estudante sul-coreana Hyuna Yu, que veio para estudar Línguas Estrangeiras Aplicadas ao Multilinguismo e à Sociedade da Informação (LEA-MSI/IL), sublinha a proximidade de Brasília aos demais estados e a afinidade com o curso como pontos fortes na hora de escolher a UnB. Colega de Yu, o russo Mikhail Koslov conta ter optado pela Universidade após descobrir que é uma das melhores do país.

 

O país que mais enviou intercambistas neste semestre foi a Espanha, com sete estudantes. Em seguida vem França, com seis, e Colômbia, com cinco. A maioria dos estudantes, 22, vêm da Europa, seguido de 12 das Américas e seis da Ásia.

 

A permanência dos intercambistas é de até dois semestres, uma vez que eles já cursam uma universidade em seus países. No caso do PEC-G, o curso é feito inteiramente na universidade brasileira.

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: nome do repórter/Secom UnB ou Secom UnB. Crédito para fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.