OPINIÃO

Roberta Cantarela é professora do Instituto de Letras da UnB e Coordenadora das Mulheres da Secretaria de Direitos Humanos (CODIM/SDH).

Roberta Cantarela

 

O Novembro Negro na UnB conta com diversas atividades realizadas: rodas de conversa, cinedebate, palestras e outras mais que acontecem até o fim do mês. Neste dia 25 de novembro, a Coordenação das Mulheres (CODIM) da Secretaria de Direitos Humanos (SDH) também comemora o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

 

Data relembra o assassinato das irmãs Mirabal – Patria, Minerva e María Teresa –, mulheres ativistas contra o regime do ditador Rafael Trujillo, na República Dominicana, em 1960. Trata-se de um marco importante contra as violências sociais, em especial aquelas que atingem as mulheres.

 

Por isso, a CODIM/SDH marca este Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres com o lançamento do projeto “Maria da Penha vai à Universidade”. Derivado do programa “Maria da Penha vai à escola: educar para prevenir e coibir a violência contra a mulher”, este projeto visa a “promoção e formação acerca da Lei Maria da Penha e dos direitos das mulheres em situação de violência doméstica, afetiva e familiar tendo como público-alvo a comunidade escolar das escolas públicas do Distrito Federal e profissionais que atuam nas instituições partícipes”.

 

Na UnB, contamos com a parceria da Coordenadoria de Capacitação (Procap), do Decanato de Gestão de Pessoas (DGP), do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Mulheres (NEPeM/CEAM), de coletivos feministas e grupos de pesquisa sobre mulher e gênero e também com a participação da professora e pesquisadora Valeska Zanello, do Departamento de Psicologia Clínica da UnB. A primeira turma de formação deverá acontecer já no primeiro semestre letivo em 2023.

 

Registramos ainda a importância da proposta de “Política de Enfrentamento à Violência de Gênero na UnB”, que foi construída a partir das relatorias dos grupos de trabalho da “I Conferência de Combate à Violência de Gênero” da Universidade de Brasília, em 2020. O texto está na pauta da Câmara de Direitos Humanos. Se aprovada, constituirá uma orientação para toda a comunidade universitária para a prevenção e punição de violências contra as mulheres.

 

Participe conosco na transformação da UnB em um ambiente acolhedor, seguro e justo para todas as mulheres.

 

Conheça mais o Programa Maria da Penha vai à Escola. Visite a página da Coordenação das Mulheres. Visite a página da Secretaria de Direitos Humanos.

ATENÇÃO – O conteúdo dos artigos é de responsabilidade do autor, expressa sua opinião sobre assuntos atuais e não representa a visão da Universidade de Brasília. As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seu conteúdo.