CONHEÇA A UnB

UnB oferece programas a estudantes em vulnerabilidade social. Interessados têm até 12 de maio para se inscrever na Avaliação Socioeconômica

 

Neste início de semestre letivo, a Secretaria de Comunicação publica uma série de matérias com informações sobre os principais serviços disponíveis aos estudantes da Universidade de Brasília e à comunidade externa. Para começar, conheça mais sobre assistência estudantil.

 

Leonardo e Sara participam da Assistência Estudantil. Foto: Júlio Minasi/Secom UnB

  

Assegurar a permanência acadêmica de estudantes em situação de vulnerabilidade social é o objetivo da Política de Assistência Estudantil da Universidade de Brasília. Acadêmicos dos quatro campi podem pleitear participação nos programas que, ao todo, ofertam seis diferentes benefícios: acesso à língua estrangeira, auxílio emergencial, auxílio socioeconômico, bolsa-alimentação, moradia estudantil e vale-livro.

 

Leonardo Marçal, um dos alunos assistidos, garante que a ajuda é indispensável para prosseguir com os estudos. "Me mudei para Brasília somente com uma mochila contendo algumas roupas e um par de tênis. Eu pagava o aluguel com a bolsa do estágio, que é R$364. Não sobrava nada e minha situação era muito difícil. Agora eu tenho como me alimentar, porque sempre como no RU, e posso comprar material de estudo com o auxílio socioeconômico", diz.

 

O universitário conta que, quando foi aprovado para Biblioteconomia na UnB, já estava cursando pedagogia em uma instituição particular como aluno bolsista. Agora, ele concilia a rotina dos dois cursos com o estágio na Biblioteca Central da Universidade, jornada que ficou mais fácil desde que se mudou de Goiás para Brasília com ajuda do auxílio-financeiro para Moradia Estudantil. “Eu não conseguiria manter a outra faculdade morando tão longe. Eu só chegava em casa por volta de uma hora da madrugada e, para estar na UnB, precisava sair às 5h da manhã”, explica Leonardo.

 

Hoje, Leonardo tornou-se um importante multiplicador de informações. “Fiz amigos que não tinham condições de continuar os estudos. Então eu expliquei para eles como funciona a assistência, disse para separarem os documentos e não perderem as datas”, conta o estudante. 

 

Arte: Igor Outeiral/Secom UnB

 

PASSO A PASSO – Podem participar da Assistência Estudantil alunos de cursos presenciais de graduação e pós-graduação da UnB com renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio. O primeiro passo para ter acesso a qualquer um dos benefícios é realizar a avaliação socioeconômica, que é regida por edital publicado no site da Diretoria de Desenvolvimento Social (DDS) no início de cada semestre.

 

O edital da Avaliação Socioeconômica do 1°/2017 já está disponível. As inscrições vão de 13 de março a 12 de maio e devem ser feitas online pelo Sistema de Assistência Estudantil WEB (SAEWeb), por meio do login e senha utilizados no sistema Matrícula Web. Após preencher o formulário de inscrição disponível no sistema, o estudante deve imprimi-lo e entregá-lo, juntamente com a documentação especificada no edital, na unidade de atendimento da DDS do campus em que está matriculado.

 

O resultado da Avaliação Socioeconômica é divulgado semanalmente nos murais da DDS dos campi e também no SAEWeb. É importante se atentar ao resultado, pois, caso a documentação esteja incompleta, o prazo para entregar o que estiver pendente é de 15 dias. Passado esse período, a solicitação pode ser desclassificada.

 

“Se o estudante estiver dentro do critério de renda, se torna participante dos Programas de Assistência Estudantil (PPAES). Então, imediatamente, ele já tem acesso à bolsa-alimentação, que garante gratuidade nas refeições do RU. Para os outros programas, há um processo seletivo porque, infelizmente, ainda não temos capacidade de atender a todos”, explicam os coordenadores técnicos da DDS, Eduardo Lemgruber e Luiz Claudio Ferreira.

 

De acordo com os gestores, a maior demanda atualmente é para o auxílio socioeconômico. A quantidade de bolsas ofertadas para esse benefício varia a cada período. No último semestre, foram ofertadas 450 bolsas, contudo, houve mais de 800 solicitações. Já a moradia estudantil assiste atualmente cerca de 1.400 estudantes, mas ainda assim há uma demanda maior que essa oferta.  

 

Os editais de moradia estudantil para alunos de graduação e de pós-graduação já estão disponíveis, e as inscrições vão de 13 a 24 de março.

Os gestores da DDS Luiz Claudio Ferreira, Pedro Vieira da Silva e Eduardo Lemgruber. Foto: Júlio Minasi/Secom UnB

 

PERSPECTIVA – Uma novidade prevista para este semestre é o acompanhamento acadêmico por parte da DDS. “Estudantes que apresentarem queda no rendimento acadêmico serão convidados a comparecer à DDS para serem acompanhados. Nosso intuito é ajudar esse aluno, identificando o que ocasionou o menor rendimento e, assim, atuar para reduzir a evasão na Universidade”, explica o diretor da DDS, Pedro Vieira da Silva

 

Outra inovação é que, em atendimento à demanda dos estudantes que ocuparam a Universidade no fim do ano passado, a administração superior criou a Comissão Especial de Assistência Estudantil. “É um momento muito feliz e propício para a criação dessa Comissão. A DDS precisa interagir mais com os estudantes da assistência e essa tem sido uma ótima oportunidade de diálogo”, afirma o diretor.

 

Estudante de Psicologia, Sara da Silva Meneses está no 9º semestre e desde o segundo período usufrui de benefícios como bolsa-alimentação e auxílio socioeconômico. No ano passado, ela também ingressou no programa de moradia estudantil. Sara reconhece a importância dos auxílios, contudo, acredita que a ajuda é pequena em relação ao custo de vida na cidade. Por isso, ela integra a Comissão para dialogar sobre “uma assistência estudantil mais participativa, também feita pelo próprio estudante".

 

"Eu gasto muito com xerox, além de outras despesas. Fazer todas as refeições no RU exige uma logística de deslocamento e torna-se enjoativo ao longo dos anos. Por isso, acabo comprando algo para comer em casa. No fim das contas, meu dinheiro dá até a metade do mês", conta a futura psicóloga. Outra dificuldade, de acordo com a estudante, é que a Casa do Estudante, apesar de estar dentro do campus, fica distante de outros pontos, ocasionando certo isolamento.

 

Apesar das dificuldades, sua gratidão fica clara nos planos que faz para o futuro. “Pretendo fazer uma residência multiprofissional e atuar no Sistema Único de Saúde (SUS). Meu objetivo é trabalhar com política pública, até como uma forma de retribuir a oportunidade que tive de estudar em uma universidade pública”, afirma.

 

APOIO – Além da assistência estudantil, em que o critério de participação é a renda familiar, a UnB disponibiliza ao estudante outras bolsas e auxílios. Entre eles, os programas Bolsa Atleta e de Iniciação Científica, voltados para esportistas de alto desempenho e jovens pesquisadores. A Universidade oferece também bolsas de monitoria e tutoria, de estímulo à docência e à participação em projetos de extensão. Saiba mais no Guia do Calouro.

 

Mais informações sobre os Programas de Assistência Estudantil estão disponíveis no site da DDS ou pelos telefones 3107 3300/0258/0556/0562. Assista também um depoimento sobre Assistência Estudantil no site do Boas-Vindas.

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: nome do repórter/Secom UnB ou Secom UnB. Crédito para fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.