TECNOLOGIA

Grupo Apuama Racing é composto por alunos de graduação. Time disputa campeonato nacional

 

Foto: Beatriz Ferraz

 

O desenvolvimento de carros de corrida é o principal desafio para uma equipe da Faculdade de Tecnologia (FT) da Universidade de Brasília. Formada por 53 alunos de diversos cursos, a Apuama Racing participa da Fórmula SAE Brasil, competição promovida pela Society of Automotive Engineers (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade). O evento é realizado anualmente no estado de São Paulo e reúne universidades e faculdades nacionais e internacionais.

 

Segundo a SAE Brasil, o objetivo da competição é "propiciar aos estudantes de Engenharia a oportunidade de aplicar na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, desenvolvendo um projeto completo e construindo um carro tipo Fórmula". O evento é, ainda, vitrine para os estudantes que se destacam e oportunidade de entrada no mercado das grandes montadoras que apoiam a competição.

 

A Apuama, que em tupi significa 'aquele que corre', foi criada em 2005. A equipe é voltada exclusivamente para a participação na Fórmula SAE. Atualmente, o grupo conta com graduandos das áreas de engenharias Mecânica, Elétrica, Produção, Eletrônica, Aeroespacial, Automotiva e Computação, além de Comunicação Social e Direito. “O contato com pessoas de outros cursos traz um grande crescimento”, diz o estudante de Engenharia Mecânica Gabriel Souza, um dos capitães da Apuama e responsável pela parte organizacional da equipe.

 

Arte: Anna Soares / Secom UnB

A gestão de um grupo tão numeroso é um dos desafios citados por Gabriel. Além do desenvolvimento do projeto e da construção do carro, os membros também são responsáveis por campanhas para arrecadação de dinheiro e por conseguir patrocínios que viabilizem a execução do protótipo e a participação na Fórmula SAE. As ações variam desde a venda de doces na Universidade até a exposição do protótipo em shoppings da cidade.

 

“Esperamos montar uma equipe mais sólida, com mais pessoas trabalhando de forma integrada e com uma maior visibilidade na UnB e no DF e, consequentemente, conseguir mais patrocínios”, revela o estudante de Engenharia Mecânica Luiz Gustavo Ferreira, capitão de projeto da Apuama.

 

O desenvolvimento do modelo AF15, apresentado na última competição, teve o valor estimado de R$ 60 mil. O carro tem 2,9 metros de comprimento, 1,3 metros de largura e pesa cerca de 260 quilos. Na construção do carro, foram utilizados basicamente metal, aço, alumínio e fibra de vidro

 

APOIO - A UnB disponibilizou espaço físico na Faculdade de Tecnologia, onde estão a sede e a oficina da equipe e onde o carro é guardado. A Universidade também oferece as ferramentas e a estrutura do local para construção do protótipo e um ônibus, usado para o transporte dos membros do grupo e dos equipamentos até o local de competição. Os estudantes ressaltam, ainda, todo o apoio do diretor da FT, Antonio Brasil, e dos demais professores da Faculdade.

 

A Apuama Racing é orientada pelo professor Sanderson Cesar Barbalho, do Departamento de Engenharia de Produção. Ele destaca o conhecimento de diversas áreas da Engenharia, que é aplicado no desenvolvimento de um carro, somado à participação de outras áreas na iniciativa, como Administração, Comunicação Social e Direito, como fundamentais para o enriquecimento acadêmico dos integrantes. “Essa visão geral de um projeto não se consegue em sala de aula e é o principal diferencial de um aluno que participou de uma equipe como a Apuama”.

Formada por alunos, equipe Apuama Racing desenvolve carros de corrida e participa de competições. Foto: Beatriz Ferraz / Secom UnB

Outros pontos positivos ressaltados pelo professor foram a aplicação entre teoria e prática na montagem do protótipo, o contato com engenheiros e profissionais das principais montadoras automotivas do país e o fato de a competição com outras universidades instigar os alunos a darem o melhor de si para o projeto

 

COMPETIÇÃO - Criada em 1981, no Texas, a Fórmula SAE é uma competição universitária de desenvolvimento de carros de corrida, promovida pela Society of Automotive Engineers (SAE). O torneio chegou ao Brasil em 2004 e, desde então, já foram disputadas doze edições.

 

A competição é composta por provas estáticas e dinâmicas. No primeiro momento, uma comissão formada por engenheiros especialistas avalia a equipe pela apresentação técnica do carro; o design; os custos do protótipo, por meio de um relatório enviado previamente à comissão; e por uma prova de Business, quando a equipe apresenta o projeto e sua viabilidade de produção em larga escala e venda. Nas dinâmicas, as equipes competem nas provas de aceleração, Skidpad, Autocross e Endurance. No fim, a equipe vencedora é aquela que obtiver a maior nota no somatório da pontuação de cada uma das etapa