BALANÇO

Às quartas, ao longo do mês de novembro, quatro encontros vão abordar os temas do Programa de Internacionalização da UnB

Primeiro webinário acontece em 4 de novembro, discutindo as dinâmicas naturais e antrópicas sobre o planeta. Arte: Ana Rita Grilo/Secom UnB

  

Seis grandes tópicos sobre o planeta Terra, envolvendo até 30 dos melhores programas de pós-graduação da Universidade de Brasília, integram iniciativa robusta, aprovada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para o quadriênio 2019-2022 com um total de R$ 34 milhões.

 

Essa é a síntese do Programa de Internacionalização da UnB - Capes PrInt, que estará em evidência no Ciclo de webinários Capes PrInt UnB 2020. Com o objetivo de fazer um balanço e redesenhar estratégias para os próximos anos, o encontro irá tratar dos projetos envolvidos, dos principais avanços e do andamento da cooperação.

 

"A proposta inicial era realizar seis workshops ao longo de 2020, mas, em função da pandemia, foram associados alguns temas para discutir a evolução do Capes PrInt. Afinal, em todo o país, o programa sofreu um impacto muito grande nesse ano", informa a decana de Pós-Graduação (DPG), Adalene Moreira, que propôs a iniciativa para o Comitê Gestor do Capes PrInt na UnB.

 

Sendo o público-alvo a comunidade universitária e interessados nas temáticas, haverá sessões plenárias para discussões internas e mesas abertas para divulgação de resultados. Os webinários serão transmitidos pela UnB TV, por meio de seu canal no YouTube.

 

Para a equipe do DPG, o Capes PrInt propiciou o fortalecimento da internacionalização na UnB, principalmente por meio da mobilidade de discentes e docentes para o exterior, como também pela vinda de professores e pesquisadores estrangeiros, que ministraram aulas, seminários e palestras na Universidade.

 

"Essas ações permitiram a consolidação de parcerias já existentes, bem como o estabelecimento de novas colaborações com cientistas no exterior. Agora esperamos ampliar a mobilidade internacional para fortalecer os programas de pós-graduação, as publicações e a divulgação da pesquisa científica. Uma estratégia importante é receber professores que formam redes de pesquisa com nossa instituição, o que permite a troca de experiências e expertises entre laboratórios e grupos de pesquisa", sintetiza Adalene Moreira.

 

PROGRAMAÇÃO – Os temas correspondem aos principais eixos da proposta desenvolvida pela UnB. No primeiro webinário, a ser realizado no dia 4 de novembro, a decana irá abordar, na primeira parte, os planos para renovação, os novos editais e o cronograma de lançamento de mobilidade de 2021.

 

A segunda parte será sobre o tema 1 do Capes PrInt, Dinâmicas naturais e antrópicas sobre o planeta, e contará com a participação do professor do Instituto de Geociências (IG) Nilson Botelho e da convidada estrangeira, a pesquisadora Gema Olivo, da Queen's University.

 

No dia 11, foram aglutinados os temas 3 e 4: Vida e saúde em um mundo em transformação e C&T para o desenvolvimento e a sustentabilidade. O terceiro webinário, em 18 de novembro, terá a associação dos temas 2 e 5, Desigualdade, globalização e seus efeitos sobre a sociedade contemporânea e Diversidade, práticas sociais e a afirmação de direitos. No dia 25, será apresentado o tema 6, Questões urbanas contemporâneas: dinâmicas sociais, desenvolvimento e inovação.

 

EM NÚMEROS – A primeira chamada do Capes PrInt, realizada em 2019, contou com quase R$ 9 milhões, após o contingenciamento de R$ 3.785.777,78, transferidos para 2023. Para os dois primeiros anos, mais de R$ 20 milhões são destinados a bolsas de pesquisa por meio de 56 planos de trabalho aprovados de 29 programas de pós-graduação.

 

Ao todo, foram beneficiados 247 pesquisadores em diferentes modalidades de bolsa: capacitação e doutorado sanduíche (para pós-graduandos); pós-doutorado (para pesquisadores externos à UnB); professor visitante (para pesquisadores com vinculo com instituição estrangeira); professor visitante júnior e sênior (para docentes da UnB).

 

As bolsas envolveram diversos países, como África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Itália, México, Noruega, Portugal, Reino Unido, Suécia e Suíça. As missões de trabalho contemplaram 38 docentes da Universidade.

 

A expectativa é renovar o programa, que passará por revisão em 2021, por meio de relatório e prestação de contas à Capes.

 

 Leia também:

>> Em disciplina integrada à pesquisa contra covid-19, estudantes monitoram casos da doença no DF

>> UnB lança edital para ingresso por meio do Enem

>> SIGAA chega em breve para a pós-graduação lato sensu

>> Conferência virtual mobiliza comunidade na construção de política de promoção da saúde da UnB

>> Universidade planeja próximos semestres letivos

>> Premiação destaca melhores dissertações e teses da UnB

>> Técnicos e docentes trabalham juntos para o sucesso da UnB em tempos de pandemia

>> Critérios para participar de testes da vacina chinesa no HUB são ampliados

>> A teoria vivida: antropóloga Mariza Peirano torna-se professora emérita da UnB

>> Estudo da UnB busca caracterizar percepções sobre sofrimento psíquico decorrente da pandemia

>> Pesquisa busca entender ressignificações de mundo geradas pela pandemia entre a comunidade acadêmica

>> Campanhas de solidariedade da UnB continuam contando com você

>> Webinário apresenta à sociedade projetos de combate à covid-19

>> Copei divulga orientações para trabalho em laboratórios da UnB durante a pandemia de covid-19

>> Coes publica cartilha com orientações em caso de contágio pelo novo coronavírus

>> UnB cria fundo para doações de combate à covid-19 

ATENÇÃO – As informações, as fotos e os textos podem ser usados e reproduzidos, integral ou parcialmente, desde que a fonte seja devidamente citada e que não haja alteração de sentido em seus conteúdos. Crédito para textos: nome do repórter/Secom UnB ou Secom UnB. Crédito para fotos: nome do fotógrafo/Secom UnB.

Palavras-chave